Você ou alguém próximo de si foi diagnosticado com mielofibrose e recebeu tratamento com um inibidor da JAK aprovado?

Poderia ser elegível para participar num ensaio clínico para doentes com mielofibrose.
SAIBA MAIS

Mielofibrose

A mielofibrose é um cancro do sangue raro que perturba a produção normal de células sanguíneas no corpo humano. A mielofibrose provoca a formação de tecido cicatricial ou «fibrose» na medula óssea, afetando a capacidade da medula óssea para produzir plaquetas e glóbulos vermelhos saudáveis. A perda de plaquetas e glóbulos vermelhos pode provocar anemia e trombocitopenia, o que poderá provocar fraqueza, fadiga e episódios de sangramento potencialmente fatais.
Uma vez que a medula óssea produz cada vez menos células sanguíneas saudáveis, poderá ocorrer um crescimento anormal de células cancerosas produtoras de sangue fora da medula óssea em órgãos tais como o baço ou o fígado, fazendo com que os mesmos aumentem de volume. Um baço aumentado é frequente em doentes com mielofibrose e poderá resultar em dor/desconforto abdominal, sensação de enfartamento precoce e diminuição do apetite.
As células cancerosas também produzem substâncias denominadas «citocinas» que provocam inflamação relacionada com o cancro. A libertação anormal destas citocinas resulta frequentemente em sintomas relacionados com a doença, tais como fadiga, suores noturnos, comichão e febre.
Os doentes com mielofibrose habitualmente precisam de tratamento. No entanto, as terapêuticas aprovadas apenas reduzem o tamanho de um baço aumentado e aliviam os sintomas associados à inflamação relacionada com o cancro. Infelizmente, os tratamentos atuais na mielofibrose não tiveram êxito na restauração da produção normal de células sanguíneas, nem na reversão da fibrose da medula óssea provocada pelo cancro.

Navtemadlin (KRT-232)

O navtemadlin (KRT-232) é uma terapêutica experimental que está direcionada para uma proteína denominada MDM2, proporcionando um potencial novo tratamento para doentes com mielofibrose.
A MDM2 é uma proteína que regula negativamente a atividade de um gene supressor tumoral denominado p53, também conhecido como o «guardião do genoma».
Dado o papel central do p53 de controlar o ciclo de vida natural das células no corpo humano, existe um equilíbrio delicado entre a MDM2 e o p53. Infelizmente, na mielofibrose, as células cancerosas aumentam de forma anormal os níveis de MDM2 para desativar o p53 e a respetiva capacidade para combater o cancro.
Em doentes com mielofibrose, o tratamento com navtemadlin (KRT-232) inibe os níveis elevados de MDM2 e restaura a função da p53 e a respetiva capacidade para matar células cancerosas da mielofibrose.

Ensaio BOREAS

O BOREAS é um estudo de registo de fase 3 para doentes com mielofibrose cuja doença progrediu após tratamento com uma classe de medicamentos denominados inibidores da Janus cinase (Janus kinase, JAK).
Os inibidores da JAK são utilizados em primeira linha para doentes com mielofibrose e são as únicas opções de tratamento atualmente aprovadas nos Estados Unidos e na Europa. Não existem terapêuticas aprovadas em segunda linha para doentes com mielofibrose que se apresentam recidivantes ou refratários após um inibidor da JAK.
O BOREAS irá comparar a eficácia e a segurança do navtemadlin (KRT-232) versus a melhor terapêutica disponível em doentes com mielofibrose cuja doença progrediu ou não respondeu a um inibidor da JAK.
Aproximadamente 282 doentes irão participar neste estudo, incluindo 188 doentes atribuídos aleatoriamente à terapêutica com navtemadlin (KRT-232) e 94 doentes atribuídos à melhor terapêutica disponível. Para doentes aleatorizados para a melhor terapêutica disponível, o respetivo médico responsável pelo tratamento irá prescrever-lhes uma terapêutica apropriada.
Antes de o tratamento começar, todos os doentes serão submetidos a avaliações clínicas completas. São recolhidas amostras de sangue para garantir que a proteína p53 está funcional e não apresenta mutações. Adicionalmente, o volume do baço de todos os doentes será medido utilizando exames de imagem por RM ou TC e os doentes irão preencher questionários para medir os respetivos sintomas básicos. Realizar-se-ão análises ao sangue, exames de imagem e questionários de sintomas antes e durante o estudo. Durante as primeiras 24 semanas, os doentes permanecerão em tratamento com navtemadlin (KRT-232) ou com a melhor terapêutica disponível, exceto se não tolerarem o tratamento ou se a respetiva doença progredir.
Após 24 semanas de tratamento, a eficácia será analisada comparando o navtemadlin (KRT-232) à melhor terapêutica disponível utilizando 2 avaliações: (1) redução do volume do baço desde o início do estudo até às 24 semanas medida através de RM ou TC e (2) sintomas dos doentes notificados pelos próprios desde o início do estudo até às 24 semanas.
Assim, as duas principais medições de eficácia para o navtemadlin (KRT-232) comparativamente com a melhor terapêutica disponível são o volume do baço e a melhoria dos sintomas após 24 semanas de tratamento.

Clique para aumentar a imagem.

Perguntas frequentes

Localizações do ensaio

O ensaio BOREAS será realizado em aproximadamente 140 centros oncológicos em, pelo menos, 20 países. Queira por favor utilizar o mapa interativo abaixo para localizar um centro oncológico próximo de si onde estão a ser inscritos doentes para este ensaio.

    É elegível?

    • Tem 18 anos de idade ou mais
    • Recebeu um diagnóstico de mielofibrose
    • Recebeu tratamento previamente com Inhibitory JAK para a mielofibrose e foi-lhe dito que a sua doença progrediu

    Várias outras condições têm de ser cumpridas antes de poder participar no ensaio. Queira por favor contactar o centro participante mais perto de si. Os centros poderão dar-lhe mais informações sobre os requisitos do ensaio.